Projeto Escolinhas

A Alento sempre defendeu que o ensino do Suporte Básico de Vida (SBV) deve ser massificado.
E porquê?
Porque todos os estudos científicos internacionais, na área da Reanimação, apontam no sentido de que há duas atitudes que podem fazer a diferença entre a vida e a morte: ativar o 112 e iniciar rapidamente manobras de SBV, até que chegue ajuda diferenciada. Para que isto aconteça, a maioria da população tem de ser ensinada.
Em muitos países este ensino começa nas Escolas e está provada a capacidade de crianças e adolescentes para esta aprendizagem. É por isso que a Alento abraçou o Projeto Escolinhas do Conselho Português de Ressuscitação (CPR) e desenvolveu esforços para o implementar no Alentejo.
A mais valia deste projeto é que foi concebido para ser AUTOSUSTENTAVEL – “dá a cana para pescar, em vez de dar só o peixe”.
Assim ele desenvolve-se em duas fases:
1. Capacitar um grupo de professores de cada agrupamento escolar e os respetivos enfermeiros de Saúde Escolar com um Curso de Instrutores de Competências Básicas em Emergência, da responsabilidade do CPR e ministrado por formadores por ele creditados
2. Esta bolsa de instrutores que cada agrupamento fica a ter, encarrega-se ao longo do ano letivo de ministrar um Curso de Competências Básicas em Emergência, aos alunos do 8º ano de escolaridade, com o apoio de instrutores CPR, que no caso de Beja, serão da Alento
Para que o projeto se pudesse desenvolver no concelho de Beja, o CPR e a Alento tiveram todo o apoio dos Agrupamentos Escolares, do CFAEMG, da Camara Municipal de Beja, através dos pelouros da Educação e Bibliotecas e Proteção Civil Municipal e a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.
O ensino de Suporte Básico de Vida nas Escolas , mais que uma competência é uma QUESTÃO DE CIDADANIA